Soneto de Fidelidade

"De tudo ao meu amor serei atento. Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto. Que mesmo em face do maior encanto. Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento. E em seu louvor hei de espalhar meu canto. E rir meu riso e derramar meu pranto. Ao seu pesar ou seu contentamento. E assim, quando mais tarde me procure. Quem sabe a morte, angústia de quem vive. Quem sabe a solidão, fim de quem ama. Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure".
Vinícius de Moraes.

Daisypath Vacation tickers

Daisypath Anniversary tickers

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Viva as diferenças!

Artista: Gökhan Özen
Música: Istanbul Daha Erken



Esse foi um dos primeiros vídeos de música turca que assisti e confesso que fiquei meio surpresa. rsrsrsrsrsrs

Roupas curtas, requebrado, molejo, clima de paquera, boate bombando e o povo descendo até o chão? Parece até que estou falando do Brasil né?! Isso tudo é o que estamos acostumados a ver nas bandas de cá
E na cabeça da esmagadora maioria dos brasileiros, que não se relacionam diretamente com turcos ou não pesquisam mais a fundo a Turquia, lá a mulher não anda na rua sem burca ou "hijab" pois o que todos sabem é que 99% da população é composta por adeptos da religião muçulmana. 

Já nem lembro mais quantas vezes me perguntaram/afirmaram se/que serei obrigada a usar a burca ao chegar em Istanbul. 

Diante disso acho válido esclarecer melhor o assunto, lembrando que o blog é meu e aqui exponho as minhas impressões pessoais (nada cientificamente provado)...

A etimologia da palavra: hijab significa em árabe "cobertura" e vem de  حجب que significa "cobrir", "proteger".
É o conjunto de vestimentas preconizado pela doutrina islâmica. No Islã, o hijab é o vestuário que permite a privacidade, a modéstia e a moralidade, é por vezes utilizado especificamente em referência às roupas femininas tradicionais do Islã, ou ao próprio véu. O hijab foi decretado para proteger a sua modéstia e honra pois Deus, o Altíssimo, diz no Alcorão:
Cquote1.svgÓ profeta, dizei a tuas esposas, tuas filhas e às mulheres dos crentes que quando saírem que se cubram com as suas mantas; isso é mais conveniente, para que se distingam das demais e não sejam molestadas; sabei que Deus é Indulgente, MisericordiosíssimoCquote2.svg
— 33ªSurataAl-Ahzab, versículo 59

Estudiosos islâmicos acreditam que Deus revelou este versículo ao Mensageiro, o Profeta Muhammad ordenando a mulher crente a se cobrir com sua manta quando saísse de seu lar, de tal maneira que nenhum de seus atrativos ficasse visível; porque desta maneira se tornaria claro para todos que ela era muçulmana, honrada, casta, pelo que nenhum hiprócrita ousaria molestá-la.

O hijab é usado pela maioria das muçulmanas que vivem inclusive em países ocidentais. A depender da escola de pensamento islâmica pode se traduzir na obrigatoriedade do uso da burca, que é o caso do Talibã afegão, até apenas uma admoestação para o uso do véu, como ocorre na Turquia. Na atualidade o hijab é obrigatório na Árabia Saudita e na Repúplica Islâmica do Irã. /wikipedia - Hijab

Ao chegar em Istanbul pude ver um misto de estilos e mulheres vestidas das mais variadas formas. Vi gente coberta da cabeça aos pés? Claro que sim. Mas vi também gente usando mini-saia e short curtinho, vestidos, regatas etc.

Eu particularmente, optei por não usar decotes e roupas muito curtas por uma questão pessoal, não queria gente me olhando, me "encarando". Procurei me preservar e respeitar os costumes e tradições mais conservadoras, embora tenha optado pelo não uso da burca.

Na Turquia é mais frequente entre as mulheres muçulmanas o uso de um lenço (colorido) que cobre apenas os cabelos: 



Muito embora seja comum também algumas mulheres (assim como eu), optarem pelo não uso do lenço deixando os cabelos ao vento. Gosto de frisar que não fui rebaixada ou olhada com carão por conta disso, pelo contrário, me senti sempre respeitada.
Um dia minha Anne apontou uma moça que cobria os cabelos e me perguntou:
- O que você acha do véu?
Não sabia exatamente o que ela queria ouvir e respondi com sinceridade:
- Não é pra mim, mas eu respeito a opção de quem decide usa-lo.
Ela sorriu e respondeu:
- Nem pra mim, embora tenha nascido aqui não acho que o uso do véu torna alguém mais ou menos muçulmano.
Ufaaa, a resposta dela não poderia ter sido melhor :)

Pude perceber que o uso do hijab pouco preocupa muçulmanos de certas correntes. Para essas mulheres usar ou não o véu é uma questão pessoal e o mais importante não é o uso em si, mas o motivo/crença que leva a mulher a optar pelo uso.

Eu e Anne tomando um türk kahvesi #sem hijab#
 De um lado mulher com hijab e do outro sem

Embora não seja tão comum o uso da burca preta na Turquia, que deixa de fora apenas os olhos, algumas vezes me deparei com mulheres na rua vestidas assim: 

Nessa foto tirada na balsa em Izmit é possível ver:
Mulher cobrindo apenas o cabelo.
Mulher usando a burca que deixa apenas os olhos de fora.
Mulher sem usar o hijab.
Bom pessoal, graças a Deus pude sentir uma aproximação, uma abertura muito grande do povo turco para pessoas advindas de outros países (como o Brasil) e com religiões diferentes da muçulmana. 
Me senti muito respeitada e amada. E esse era um assunto que me preocupava um pouco antes de ir pra lá. 
Fiquei feliz com o que vi e senti :)

Viva as diferenças porque lá no fundo somos todos iguais...

Beijos Beijos...

 Bom Carnaval!!!




5 comentários:

Kátia Malgueiro Karaman disse...

Adorei seu post :-D Aqui em Egirdir eh a mesma coisa... Algumas vezes em İsparta eu vi algumas mulheres mostrando apenas os olhos.
Legal o jeito q vc escreve, e q lindo vc e sua anne juntas sem hijab! Eu tb graças ao bom Deus, meus sogros são mais modernos. Se eu precisasse usar o hijab, não haveria problema... Mas tb prefiro os cabelos ao vento ou aquelas toquinhas fofas q tem por aqui!!!

Bom carnaval pra vc tb!

Bjos

A outra cor disse...

Selam Micaela! Gostei muito do seu blog... adorei essa postagem sobre as diferenças culturais e o respeito. Eu também namoro um turco e sou apaixonada pela Turquia. Tudo de lindo pra vc e seu amor... Tann seni korusun!!!!!!!!! Beijo n'alma. Gule gule :)

Micaela disse...

Pois é Kátia, vira e meche alguém me pergunta sobre o obrigação ou não do uso da burca na Turquia, por isso resolvi escrever esse post :) Muita gente pensa que é de um jeito que não é... na medida do possível é bom explicar né?! acho que você sabe bem do que estou falando... rsrsrsrsrs Fico feliz que você tenha gostado do post. Volte sempreeee!!! beijoss e bom carnaval em Eğirdir! ;)

Micaela disse...

Oie "A outra cor" :) Obrigada pela visita! Que legal conhecer outra "turcoenamorada". Tô adorando isso :) Deus abençoe muito vocês também! Volte sempre! :*********

Anônimo disse...

Muito bom ler o seu blog! Só um detalhe: a roupa preta da mulher é um niqab, que só deixa os olhos de fora. A burca também cobre os olhos, com uma tela.